domingo, julho 14, 2024
Planejamento Financeiro

O que é Renda Variável? Como ela pode fazer parte dos seus investimentos?

Eu aposto que você deve estar ouvindo falar de Renda Fixa em todo lugar, já que nesse momento as taxas de juros estão nas alturas e todo mundo que surfar esse hype. É nessa hora que a Renda Variável é deixada meio de lado e quem ainda tinha algum receio fica ainda mais preocupado, já que só se noticia que o Ibovespa está caindo. Mas você sabe exatamente o que é renda variável? Então vem comigo que eu vou te contar nesse post.

O que é Renda Variável?

O nome Renda Variável já te dá uma pista do que acontece com os seus investimentos quando você investe nesse tipo de ativo. Adivinha? Eles variam.

Bom, mas a Renda Fixa varia também não é? Qual a diferença então? A diferença principal entre a Renda Fixa e a Renda Variável é que na Renda Fixa os acordos de remuneração são claros e você sabe quanto vai receber no final (mesmo que algumas pessoas não entendam direito) e na Renda Variável não existe acordo, ou seja, não há um parâmetro determinado para calcular o seu ganho.

Em resumo, a Renda Fixa é um empréstimo que você concede ao governo, às Instituições Financeiras ou outras empresas. E o que é a Renda Variável então? Esse tipo de investimento é como uma sociedade e quando você se associa a alguém você até pode ter alguma boa expectativa que aquele negócio vai dar certo, mas ninguém pode te dizer com certeza que a sociedade vai te dar um retorno de x% em 5 ou 10 anos.

Quais os Tipos de Renda Variável?

Eu não vou esgotar as possibilidades de investimento em Renda Variável nesse post, mas eu vou trazer aqui aqueles que são os mais comuns e que provavelmente você já tenha sido apresentado antes, mas talvez não tenha estreitado laços.

Ações

As ações são o clássico da renda variável. É a forma mais fácil de você compreender como funciona essa sociedade que eu falei. Pensa em alguma empresa aí da sua cidade. Vamos supor que essa empresa quer expandir os negócios e está procurando um sócio. Você já parou pra pensar por que alguém busca um sócio? Pode até ser para que o sócio agregue alguma habilidade ou conhecimento que ainda não existia na empresa, mas na maioria esmagadora das vezes o motivo é outro: dinheiro.

As empresas que oferecem sociedade geralmente estão em busca de investimento financeiro. E voltemos a empresa da sua cidade, caso você aceite entrar como sócio você vai aportar um dinheiro na empresa, mas esse dinheiro você não terá de volta. O que você fez não foi um empréstimo para a empresa, você investiu nela e até poderá ter algum retorno na forma de lucros, mas não de juros como aconteceria se fosse um empréstimo.

E se por acaso você quiser sair dessa sociedade? Aí você precisa saber se quem te ofereceu a sociedade vai querer comprar a sua parte, ou então você pode oferecer para uma outra pessoa.

É exatamente isso que acontece na bolsa de valores. Quando você compra a ação de uma empresa você está se tornando sócio dessa empresa. O valor da sua ação poderá variar ao longo dos anos, de acordo com a saúde financeira e operacional da empresa. Você também pode receber os lucros, desde que a empresa distribua esse lucro aos sócios e pode repassar a sua parte das ações para outra pessoa, caso você queira vender.

Trazendo para o mundo real fica mais fácil de entender, não acha?

É claro que existem muitos e muitos outros detalhes, mas o intuito desse post é simplificar e te apresentar a Renda Variável.

BDRS – Brazilian Depositary Receipts

Já que você entendeu o que são ações, vamos partir para as ações no exterior, mesmo estando aqui no Brasil. Ficou confuo? Eu vou explicar. Caso você tenha interesse em comprar ações estrangeiras, mas ainda não quer enviar o seu dinheiro para fora do Brasil, você pode optar por comprar Brazilian Depositary Receipts.

BDRs são recibos de ações que não são negociadas no mercado brasileiro. Comprando um BDR você tem um certificado que representa uma ação do exterior, mas não é a ação em si. 

A variação desse papel segue a variação da ação, mas pode haver uma pequena diferença, muito por conta do câmbio.

Comprar BDRs fazia muito mais sentido quando o acesso ao mercado internacional era mais difícil, mas isso já é discussão para um outro post.

Até 2020 apenas investidores qualificados, ou seja, com mais de R$ 1 milhão investidos podiam comprar BDRs, mas depois de 2020 qualquer um pode fazer isso.

FIIS – Fundos de Investimento Imobiliário

Existe alguém na sua família que te deixa um pouco com inveja porque investe em imóveis e recebe uma renda de aluguel todos os meses? Talvez até esse momento você pensasse que essa era uma realidade muito longe da sua e que comprar um imóvel está fora de cogitação. Eu concordo que a compra de um imóvel é algo que tem que ser muito bem pensado e quer envolve uma som de dinheiro que não é qualquer um que pode bancar, mas uma renda de aluguel – mesmo que pequena – pode ser acessível pra você por meio de Fundos de Investimento Imobiliário.

Se a ação é a parte que te torna sócio de uma empresa, o fundo de investimento imobiliário te torna dono de uma parte do imóvel, nem que seja apenas um tijolo ou uma parte da argamassa.

Os fundos imobiliários são divididos em cotas, cada cota é como um pedaço de um ou de vários imóveis. Como você é dono de uma parcela do imóvel é justo que você receba também uma parte do aluguel. Algumas cotas podem te pagar centavos, ou até mesmo alguns reais de aluguel por mês. Tá achando pouco? No começo pode até ser pouco mesmo, mas a intenção é usar esses aluguéis pra reinvestir, além do seu aporte mensal. Assim você vai crescendo o bolo do investimento e quem sabe um dia pode até receber mais renda de aluguel que o tio da família.

Fundos de Investimento

Eu aposto que alguma vez na vida você já fez uma viagem para a praia com um grupo de amigos e pra não ter que ficar pensando quem compraria pão, quem iria no mercado ou quem pagaria a bebida, vocês fizeram um fundo. Cada um dava R$ 50 reais e alguém ficava responsável por fazer as compras daquela semana, ou do dia. Tô certa?

Um fundo de investimento é praticamente isso, mas a diferença é que o gestor do fundo, aquele que ficou responsável pelo dinheiro, não vai gastar esse dinheiro e sim investir. 

Existem vários tipos de fundo e eles podem ser de Renda Fixa, onde o Gestor investe em CDBs, títulos do governo, debêntures e vários outros ativos e existem também os fundos que investem em renda variável, como os fundos de ações e multimercado. 

Quando você investe o seu dinheiro em um fundo você está delegando a decisão de investimento para outra pessoa. Essa pessoa, que é o gestor, vai trabalhar para você e com isso vai querer receber uma remuneração. É comum que a taxa de administração de fundos seja de 2% ao ano, ou seja, 2% do seu valor investido vai ser descontado do seu investimento para remunerar o trabalho do gestor.

Muita gente opta por começar na renda variável com fundos de investimentos pois acredita que a capacidade do gestor em escolher ativos é maior que a sua própria capacidade e esse pensamento não deixa de estar correto. O que você precisa entender é que a capacidade de análise do gestor não é garantia de que o fundo sempre vai estar no positivo e que você só deve investir em fundos de renda variável quando pretende deixar o dinheiro investido para o longo prazo.

Vale lembrar que um fundo de investimento é uma forma de diversificação de carteira pra quem tem pouco dinheiro para investir. Quando você investe por exemplo R$ 100 em um fundo de investimento e esse fundo tem em carteira 15 empresas, você vai ter um pedacinho de cada empresa. Talvez se você fosse comprar as 15 ações separadamente esse valor seria muito superior a R$ 100.

ETFs

Pra fechar a nossa lista de ativos de Renda Variável estão os ETFs (Exchange Traded Funds), que nada mais são do Fundos Negociados em Bolsa. Os Fundos de Investimento que eu falei no item anterior são negociados em bancos ou corretoras. Pode haver um valor mínimo para investimento ou não, dependendo da exigência do gestor. 

Os ETFs até podem ser adquiridos através de banco ou corretora também, mas o ambiente de negociação deles é a bolsa de valores.

A forma de investir em ETFs é muito parecida com o investimento em ações ou fundos imobiliários. Você informa o ticker, que é o código do ETF, verifica o valor de mercado e realiza a compra.

ETFs geralmente seguem algum índice de referência e com isso a movimentação dos ativos dentro desse fundo é mais baixa do que em um fundo de gestão ativa, que pretende superar o índice de referência. 

O BOVA11 é o ETF que segue o índice Ibovespa, portanto vai replicar a composição de ações desse índice. Como o trabalho é menor, a taxa de administração também tende a ser menor.

Assim como em fundos de investimento, uma das vantagens dos ETFs é poder diversificar a sua carteira de investimentos com pouco dinheiro.

E você, já conhece a Renda Variável? Me conta aqui nos comentários.

Um abraço e até logo!

Bruna Odppes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *