domingo, julho 14, 2024
Planejamento Financeiro

Renda, Conhecimento e Comportamento – quem ganha?

Chegamos ao último post dessa série em que eu trago sempre três conceitos que são fundamentais para todo investidor, seja ele iniciante ou já experiente. Hoje eu vou falar da sua Renda, Conhecimento e Comportamento vou dar a minha opinião sobre qual deles fará mais diferença na hora de investir.

Eu já falei por aqui também sobre Rentabilidade, risco e liquidez – avalie o tripé dos investimentos e também sobre Aporte, Juros e Tempo – qual é mais importante na hora de investir? e se fosse você ia lá conferir depois de ler esse texto aqui.

Renda

Eu vou começar com a Renda, porque acredito que muita gente cai na pegadinha de achar que é só gente rica que investe. Não é assim? Se você também tem esse pensamento considere mudar de ideia. Pense em quanta gente você conhece que ganha mais que você e que vive reclamando que está sem dinheiro. É bem provável que você conheça pelo menos alguma pessoa nessa situação, senão várias.

Eu conheço e é por isso que eu digo que a renda não é o fator mais importante para começar a investir. Tem gente que ganha R$ 20 mil por mês e acaba gastando R$ 25 mil. E tem gente que ganha um salário mínimo e que consegue poupar R$ 100 todo mês.

A gente precisa lembrar que riqueza não é apenas bens materiais. O que adianta ter um carro luxuoso, uma casa grande e tudo do melhor se você deita a noite e não consegue dormir porque tem milhares de dívidas.

Talvez você ainda não tenha lido esse texto aquiQuer ficar rico? Comece por aqui! o primeiro que eu escrevi para esse site. Lá eu conto a história do Ronald Read e do Richard Fuscone. O Ronald sempre trabalhou como zelador, tinha uma vida simples e quando morreu descobriram que ele tinha milhões investidos que ele doou para caridade e deixou para os filhos.

Já o Richard conseguiu se aposentar com 40 anos depois de trabalhar no banco Merryll Lynch. Ao contrário do Ronald ele tinha gastos altos e um padrão de vida luxuoso. Isso o levou a falência em poucos anos e ele teve que vender todos os seus bens.

Será mesmo que ostentar um padrão de vida incompatível com a sua renda te faz rico, ou apenas exibido?

Conhecimento

O segundo item da nossa comparação é conhecimento. É inegável que conhecimento vai te ajudar a fazer escolhas melhores na hora de investir, mas ela ainda não é o item fundamental para que você consiga investir e acumular um patrimônio ao longo da vida.

Uma das provas disso eu tirei de uma breve consulta aos relatórios do FGC, que é o Fundo Garantidor de Crédito. Esse é aquele fundo que assegura um determinado valor investido por CPF em alguns produtos financeiros. Bisbilhotando esses relatórios eu descobri que existem mais de 23 mil milionários aqui no Brasil que investem o dinheiro sabe onde? Se você chutou Poupança você acertou. Poupança é um terrível investimento, mas é o que a maioria das pessoas conhece e acha seguro, equivocadamente.

É claro que se esses milionários tivessem mais conhecimento eles conseguiriam tirar o seu dinheiro da poupança colocando em outros produtos com maior rentabilidade e, inclusive, menor risco. Mas como eles não sabem disso eles mantém o dinheiro na poupança.

Mesmo que eles não tenham conhecimento, eles não deixam de ser milionários. Um dos responsáveis por isso é certamente o nosso último candidato de hoje: o comportamento.

Comportamento

Sim, chegamos ao campeão do trio de hoje: o comportamento. Você pode ter uma renda muito alta, um conhecimento técnico de especialista, mas se você não tem o comportamento adequado nada disso terá valor.

Você pode nunca ter ouvido falar em ciências comportamentais e finanças comportamentais, mas entender um pouco sobre o assunto pode te auxiliar bastante na maneira como você lida com o seu dinheiro.

Eu acredito que você já saiba que você precisa guardar uma parte do que você ganha pra poder ficar rico né? Mas por que você não coloca isso em prática? Porque o seu cérebro não gosta de se aventurar por caminhos que não conhece. Se você sempre gastou dinheiro sem se preocupar em guardar é isso que o seu cérebro aprendeu a fazer. Como ele é preguiçoso você só vai mudar de comportamento se forçar uma ação diferente.

Se você não conseguir guardar dinheiro no primeiro mês, se force novamente no segundo, no terceiro, no quarto, infinitamente até ensinar o seu cérebro que esse o novo padrão. Como ele é preguiçoso vai querer te sabotar e fazer você desistir logo na primeira falha. Mas agora que você aprendeu isso você não vai desistir. Persistência faz parte do processo.

E pra quem já passou pra próxima fase, a fase de investir, também pode ter grande influência do seu cérebro. Se você não tiver inteligência emocional poderá ser dominado pelos seus instintos mais primitivos e fazer besteira, principalmente se você decidir colocar uma parte do seu dinheiro na renda variável. Vai dizer que você nunca comprou uma ação quando tava subindo e vendeu quando tava caindo? De novo o seu cérebro preguiçoso usando atalhos mentais pra te atrapalhar ao invés de ajudar, mas isso é papo pra um outro post.

E você, concorda com as minhas conclusões? Você também acha que o comportamento é o que mais vai te ajudar na sua vida poupadora e investidora? Conta pra mim a sua opinião.

Um abraço e até logo!

Bruna Odppes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *